MetrôRio. A qualidade de vida não anda aqui.

29 04 2010

A situação de transporte no RJ anda insuportável. Não dá pra andar de ônibus, nem de carro, nem de trem, nem de metrô. Logo veremos aqui o mesmo que existe em SP: engarrafamento de moto.

Eu dependo de transporte público e com isso acabo fazendo malabarismos para TENTAR conseguir chegar aos locais que preciso num horário razoável (pontualidade, umas de minhas maiores características, sempre vão pro beleléu).

Atualmente eu recorro ao Metrô quando preciso escapar de alguns engarrafamentos. Mas aí entro em outro engarrafamento: o de pessoas no mesmo vagão.

Tenho “sorte” em ser razoavelmente pequena e me meto em espaços que poucos caberiam. Eu entro no bolo, sou empurrada, me aperto, mas entro no metrô. Para tentar amenizar meu sofrimento, resolvi entrar no “vagão das mulheres”. É tão cheio quanto, mas é menos incômodo porque as mulheres não empurram tanto pra entrar quanto os homens.

Aí vem minha surpresa: A lei só vale até a Estação Central! Da Central até a Saens Peña ou da Central até a Pavuna a lei é IGNORADA!

Quero fazer uma ressalva que nunca fui totalmente favorável a essa lei. Acho inconstitucional discriminar sexos. Para ser justo, deveria então criar um “vagão masculino”. No entanto, até para pesquisar fundamentos para esse post achei diversas reclamações de mulheres por causa de abusos sexuais sofridos nos transportes públicos. Inclusive, já tentaram passar a mão em mim no metrô, mas resolvi a situação sem alarde e duvido muito que o cara tente abusar de mais alguma mulher.

A questão é existe a lei; deve então ser plenamente cumprida. Por quê o Metrô não coloca “agentes” em todas as estações para evitar o descumprimento da lei? Só as usuários moradoras da Zona Sul têm o direito de ver seu DIREITO ser cumprido? Por que mais essa discriminação?

Ontem mesmo discuti com um advogado (como ele mesmo se identificou) que entrou nesse vagão. Ele alegava que poderia entrar sim no vagão porque era direito dele e que a lei é inconstitucional. Argumentei que ele, como advogado, trabalha para o cumprimento das leis. Então porque ele não cumpre essa lei e entra judicialmente com uma reclamação sobre a inconsticionalidade da lei do vagão feminino? “Dá muito trabalho”. Disse a ele que eu nunca contrataria um advogado que se orgulha no descumprimento da lei e se justifica no “muito trabalho” que ele deveria fazer.

Algumas mulheres já me disseram que a solução deveria ser um vagão masculino. Eu duvido que um monte de homem iria se apertar no esfrego um com outro. Seria o vagão mais vazio do metrô! É impressionante como eles arrumam espaço para não escostar em outro homem; mas encostam facilmente em qualquer mulher.

A solução? Melhorar o transporte! Quando o tranporte for algo digno de se andar, com espaço adequado, não precisará criar nenhum tipo de vagão especial. Se não houver aperto não há “mão-boba” e “outras-coisas-bobas”. Caso alguém tente se assediar outro, com espaço qualquer pessoa poderá perceber e ajudar o assediado. Como parece que ninguém quer essa solução o jeito é criar vagões exclusivos.

Quantos homens você consegue achar nessa imagem?

Vagão feminino teoricamente vazio após a estação Central do Brasil, indo para a Saens Peña.

Eu ainda acho que o melhor caminho para resolver a situação é fazer doer no bolso. Foi bolinada no metrô? Processe o MetrôRio! Processe o Estado!

A roda de liga-leve do seu carro empenou depois de você passar num buraco? Processe o responsável pela rua onde tem o buraco!

A justiça demora, mas costuma ser favorável ao cidadão.

Quando o custo com indenizações for algo considerável, eles vão melhorar! Ninguém quer perder dinheiro, né?

E sempre se lembre: esse ano tem eleição! O melhor que você pode fazer para mostrar se está satisfeito ou não com aqueles que administram a cidade, o país que você mora é votar com consciência.

Está bom do jeito que está? Está ruim? Pode melhorar? Pense nisso!

**

Links relacionados:

http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI3713213-EI5030,00-Mulheres+relatam+abuso+sexual+em+vagoes+de+trem+no+Rio.html

http://www.alerj.rj.gov.br/common/noticia_corpo2.asp?num=17494

http://www.alerj.rj.gov.br/common/noticia_corpo2.asp?num=17459

http://www.geledes.org.br/noticias/projeto-de-lei-federal-preve-vagoes-especialmente-para-mulheres-no-metro.html